Interior do país se torna oportunidade para as marcas

Empreendedores que buscam montar seu próprio negócio no interior do país, tem uma chance maior de crescimento e expansão do que nas capitais, por faltar oportunidades, além disso tem outros privilégios como o de conseguir morar no mesmo local do empreendimento e mobilidade de locomoção com fácil acesso as proximidades.

Podemos dizer que a paralisação dos caminhoneiros em maio desse ano foi um divisor de águas com relação a falta de atenção que o restante do país dá para cidades do interior.

Sentimos na pele e no bolso o impacto de alguns dias sem abastecimento de combustível, que por consequência, nos deixou sem insumos básicos vindos de pequenos produtores. Mas em que momento vamos perceber que o interior não é mais apenas uma cidade pequena e sim um nicho de grandes oportunidades?

Segundo um levantamento feito pela ABF, Associação Brasileira de Franchising, 48,2% das franquias estão localizadas em cidades com menos de 500 mil habitantes. Já outro estudo, realizado pelo Sebrae, mostrou que o consumo fora das capitais equivale a 38% do total de consumo do país, mesmo assim as grandes marcas não dão a devida atenção para esse setor tendendo a investir em cidades mais desenvolvidas.

A população desses pequenos centros, por não ter fácil acesso a aeroportos e quando há são poucos vôos disponíveis, acabam preferindo investir seu tempo em lazer e conforto com empresas locais porque a compra de itens por internet também não é vantajosa, o frete e tempo de entrega são sempre absurdos. Outro ponto a ser observado é que as cidades de interior têm uma estrutura social muito mais unificada, mas por outro lado oferecem menor resistência à entrada de novos investidores ou pessoas engajadas com a melhoria da economia local, tendo como principais clientes, na maior parte, famílias de classe média alta que por carência de maiores opções locais se tornam clientes fiéis e investidores em potencial.

Por mais que o custo de vida seja menor e a qualidade de vida maior, temos que entender que os padrões desses locais são diferentes a nossa visão de grandes metrópoles, tendo que nos adaptar a cultura local sempre. A presença de franquias já atingiu 42% dessas cidades em todo o território nacional, então o tempo para investir é agora para aqueles que realmente querem atingir a liderança se tornando referência e destaque nos negócios do interior.

O tempo em que cidades pequenas eram formadas apenas por um mercado, uma igreja e dezenas de fazendas com produções agrícolas reduzidas se encerrou, hoje em dia nós temos que tratar esses locais com a mesma grandiosidade e cuidado que temos com os grandes centros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *